top of page
  • Foto do escritorEd lopes

O Misterioso Mapa da Terra

Atualizado: 26 de out. de 2023



A história humana é um enigma.

Sabemos tão pouco, e muito do que pensamos saber está sempre sujeito a mudanças, pois constantemente surgem informações que desafiam nossa compreensão atual do mundo.

Nosso mundo também não é estranho a mistérios inexplicáveis, e há numerosos exemplos de fenômenos verificados, monumentos antigos, livros, ensinamentos, entendimentos e muito mais que carecem de qualquer explicação e contradizem o que já aprendemos.

Somos como uma corrida com amnésia, capazes de juntar pequenos pedaços de nossa história, mas incapazes de encaixá-los todos juntos. Ainda faltam muitas peças do quebra-cabeça.

Um grande exemplo é o mapa de Piri Reis , um documento genuíno e mapa-múndi que foi copiado em Constantinopla em 1513 DC de documentos mais antigos e descoberto em 1929.

Um teólogo alemão chamado Gustav Adolf Deissmann estava catalogando itens na biblioteca do Palácio Topkapi em Istambul de um curioso pergaminho localizado entre algum material desconsiderado. O original tem pelo menos 5.000 anos. Infelizmente, o mapa completo em sua totalidade nunca foi encontrado.

Foi desenhado pelo almirante Piri Reis da era otomana, uma figura histórica bem conhecida. Ele fez uma cópia do mapa, originalmente desenhado com base em documentos que datam pelo menos do século IV aC e em informações obtidas por vários exploradores. Reis era conhecido por seu interesse em geografia e navegação.

“Os Mapas de Piri Reis, supostamente feitos há mais de 5.000 anos, fornecem evidências surpreendentes de uma civilização perdida que pode ter sido mais avançada do que qualquer um poderia imaginar. Tem havido muita controvérsia nos últimos anos, e há muito mais a ser descoberto.” Carris S. Astronomy A20, Northwestern University, 1968.

Piri Reis tinha um piloto que tinha estado com Cristóvão Colombo em três de suas viagens. Quando capturado, descobriu-se que o piloto possuía mapas usados ​​por Colombo. Reis usou este e outros oito mapas gregos que foram transmitidos por Alexandre, o Grande, para fazer seu mapa-múndi.

O mapa de Piri Reis é um documento genuíno que foi copiado em Constantinopla em 1513 dC de documentos mais antigos e descoberto em 1929.

O original remonta a pelo menos 5000 anos atrás.

Ele fornece evidências surpreendentes de uma civilização perdida que pode ter sido mais avançada do que qualquer um poderia imaginar.


Agora ...

Como os criadores deste mapa sabiam sua longitude com tanta precisão?

Como eles conseguiram descobrir características do nosso planeta que só foram descobertas pela civilização moderna há várias décadas?

Como o mapa tinha um registro de todas as cordilheiras da América do Norte e do Canadá, algumas das quais não eram conhecidas pelo Serviço de Mapas do Exército até a década de 1950?

Por que o mapa mostra uma Antártica sem gelo quando supostamente estava coberta de gelo?


Como esse mapa poderia ser tão preciso há tantos milhares de anos, quando os métodos científicos de mapeamento só recentemente passaram a ser conhecidos?

Em uma de suas anotações, Piri Reis explica pessoalmente a forma como o mapa surgiu:

“Esta seção mostra de que maneira este mapa foi desenhado. Neste século, não há nenhum outro mapa como este em posse de ninguém."

Um dos fatos mais convincentes sobre o mapa é que ele inclui um continente que nossos livros de história nos dizem que não foi descoberto até 1818. Novamente, o mapa tem pelo menos 5.000 anos de idade.

O mapa mostra a costa da América do Sul, África e Antártica com detalhes precisos.

Na década de 1950, o Engenheiro-Chefe do Escritório Hidrográfico da Marinha dos Estados Unidos deu a Arlington H. Mallery, uma autoridade bem conhecida em mapas antigos, junto com MI Watlers, um cartógrafo anteriormente do Escritório Hidrográfico dos Estados Unidos, uma cópia do mapa. Eles descobriram que, com precisão precisa, as várias áreas de terra e água em sua localização exata. Segundo eles, os mapas “revelam-nos o fato de que os registros humanos mais antigos que temos e que são absolutamente autênticos são as cartas náuticas”.

Eles descobriram, depois de muito exame intensivo, que Colombo tinha um mapa com ele que mostrava com precisão a Península Palmer no continente antártico. O problema de como eles poderiam ter sido tão precisos tantos milhares de anos atrás, quando os métodos científicos de mapeamento só recentemente passaram a ser conhecidos, foi intrigado por ambos. Eles disseram que havia muito pouco gelo na época, mas o mapa tinha um registro de todas as cordilheiras da América do Norte e do Canadá, algumas das quais não eram conhecidas pelo Serviço de Mapas do Exército. Desde então, eles os encontraram.

O Sr. Mallery disse:

“Exatamente como eles foram capazes de fazer isso você provavelmente se lembrará da tradição dos gregos talvez eles tivessem o avião.”

Essa ideia poderia até ser levada ao ponto de considerar a ideia de OVNIs, ou um ser superior de outra parte do universo, produzindo os mapas.

“Não apenas os exploradores, mas eles devem ter tido uma organização hidrográfica muito competente e abrangente, porque você não pode mapear um continente tão grande quanto a Antártida como eles têm, metade dela, ou uma área tão extensa quanto a Groenlândia ou metade do continente da América do Norte, como sabemos que fizeram, provavelmente há 5.000 anos, não pode ser feito por um único indivíduo ou pequeno grupo de exploradores. Significa uma agregação de cientistas qualificados que estão familiarizados com a astronomia, bem como com os métodos necessários para o levantamento topográfico.”

Outra citação que me vem à mente aqui, de Richard Wagamese, quando Mallery mencionou a ajuda de outro lugar, achei que era um tanto apropriado. Wagamese era um conhecido autor e jornalista Ojibway das Nações Independentes Wabaseemoong no noroeste de Ontário, Canadá.

“Meu povo fala sobre o Povo Estelar que veio até nós muitas gerações atrás. O povo da Estrela trouxe ensinamentos espirituais, histórias e mapas do cosmos e eles os ofereceram gratuitamente. Eles foram gentis, amorosos e deram um grande exemplo. Quando eles nos deixaram, meu povo diz que havia uma solidão sem igual. “Star People” de Richard Wagamese

O mapa de Piri Reis mostra o que é conhecido como “Terra da Rainha Maud”, uma região de 2,7 milhões de quilômetros quadrados (1 milhão de milhas quadradas) da Antártida, como era há muitos anos.

Acredita-se que esta região e outras regiões mostradas no mapa estavam completamente cobertas de gelo na época, mas o mapa conta uma história diferente, mostrando-as livres de gelo, o que sugere que elas passaram por um longo período sem gelo. Isso entra em conflito com a pesquisa atual nessas áreas. Hoje, evidências geológicas confirmam que esta área não poderia estar livre de gelo até cerca de 4000 AC.

A questão portanto que quase estão impedindo de você encontrar, é que a Antártida se tornou um continente gelado após o dilúvio. As águas que chegaram aquela região submergiram completamente aquele lugar, que antes, era um território seco sem gelo, com civilizações habitando essas regiões. Para você entender melhor mais aprofundadamente sobre o assunto, sugiro a leitura do ebook, O Dilúvio, disponível aqui no site para download.

As datas que os historiadores e geólogos presumem e contam pra nós como "informação", estão todas erradas. Eles não tem como remontar milênios por meio de suas memórias aprisionadas no esquecimento de seus exílios na terra, e ainda por uma vida tão curta. É por isso que a matrix se mantém em vantagens e prevalece sobre eles. Estão usando a "ciência" da terra a "favor" como fonte de suas pesquisas, ao invés de eles próprios serem as ferramentas indispensáveis para a descoberta, mantendo-os em uma linha de engano contínua e constante, sem que encontrem respostas paras todas as dúvidas que procuram esclarecer.

O mapa mostra que a era do gelo ocorreu muito mais tarde do que se imaginava, ou que simplesmente, nunca ocorreu no planeta inteiro como tanto vieram nos contando, exatamente porque, nunca existiu essa era do gelo de um período remoto que de forma alguma é como afirmaram. O objetivo é fazer você mesmo dar certeza as hipóteses que vão lançando como se fossem "verdades." As escolas não "ensinam" e não formam ninguém, estão apenas criando escravos manufaturados prontos, e aptos, a manter o sistema da matrix funcionando por meio de uma sociedade "moderna", de um cenário que a matrix construiu.

A "era do gelo" surgiu quando o dilúvio aconteceu. Foi quando a Antártida apareceu. A Antártida nada mais é do que a água congelada devido a temperatura naquela região ter ficado muito baixa.

Eles vem utilizando do que há no cinema para parecerem mais "enfáticos." As vezes as imagens podem "ajudar" a convencer muito mais do que as palavras.


Seres de outra dimensão tem usado a mente de humanos inconscientes a fim de produzirem uma imaginação "fértil" induzida o suficiente para espalhar ainda mais mentira, com a finalidade de entorpecer por completo a mente da população global geral. Quando você acredita que a mentira que você ouviu é "verdade", então o que você consegue espalhar após isso, é só mentira.

A geleira de gelo mostrada no mapa da América do Norte existia há 15.000 anos e provavelmente desapareceu. Mas este mapa mostra essa geleira há apenas 5.000 anos. Outros mapas indicam que as geleiras desapareceram ou não apareceram na época em que esses mapas foram feitos, ou apenas começaram a aparecer. Não há como definir precisamente a datação do mapa, o mapa encontrado não se tratava do original, mas sim de uma cópia, como também não há como definir o tempo que o dilúvio ocorreu.

Basicamente a ciência oficial tem dito o tempo todo que a calota de gelo que cobre a Antártida tem milhões de anos, o que é uma mentira tão descarada quanto dizer que o universo surgiu do nada por uma explosão. Milhões de anos não fazem as coisas "evoluir", mas sim desaparecer. Não existe evolução na matéria. O que o tempo apenas faz é destruir o que é perecível. É exatamente o contrário, quanto mais tempo passa, mas próximo o se aproxima o fim de tudo.

Todo o início tem um fim. (slogam de matrix revolutiuon)

O que não tem fim é o que nunca teve início. O que não tem começo não há como existir em um universo material, que teve um começo.

Toda a evolução que há no universo e no ser humano como espécie, pelo que vieram nos dizendo, é mentira. A ciência na terra surgiu corrompida para enganar e prender os seres humanos ao mundo desde que se mantenham longe da verdade, perdendo tempo com o que eles definiram, escolhendo no que você deve acreditar.


O mapa da Antártida de Piri Reis mostra que a parte norte desse continente foi mapeada antes que o gelo a cobrisse. É inexplicável e insondável pensar que esse mapa realmente se originou há milhões de anos. Não há o mínimo cabimento racional numa coisa dessas. A existência do próprio mapa indica a nós por si mesmo, que a terra não tem milhões de anos como vem nos contando. O mapa está muito mais de acordo com a Bíblia, do que com as respostas que nos foram dadas pela "ciência" da terra.

O mapa, novamente, também é preciso e exato com a longitude, e a localização de tudo é precisa com o que sabemos hoje. Existem vários exemplos que mostram isso. O mapa também contém detalhes do terreno, as montanhas, linhas costeiras perfeitas, com cadeias montanhosas acidentadas e numerosas.

O professor Charles Hapgood, que era professor universitário de história, escreveu ao Esquadrão Técnico de Reconhecimento da Força Aérea dos Estados Unidos (SAC) e eles também confirmaram que “isso indica que o litoral foi mapeado antes de ser coberto pela calota de gelo”.

Eles também afirmaram que “não temos ideia de como os dados deste mapa podem ser conciliados com o suposto estado do conhecimento geográfico em 1513”.

Além disso, o mapa é muito detalhado e inclui cadeias de montanhas na Antártida e outras partes da América do Norte que não foram descobertas até 1952.

Por exemplo, uma comparação com fotografias modernas tiradas de imagens de satélite mostra semelhanças notáveis; os originais dos mapas de Piri Reis bem poderiam ser fotografias aéreas tiradas de uma altura muito elevada.

Como isso é possível para um mapa que foi feito há 5.000 anos, ou talvez até antes?

“Uma nave espacial paira bem acima do Cairo e aponta sua câmera diretamente para baixo. Quando o filme é revelado, surge a seguinte imagem: tudo o que está em um raio de cerca de 5.000 milhas do Cairo é reproduzido corretamente, porque fica diretamente abaixo da lente. Mas os países e continentes ficam cada vez mais distorcidos quanto mais afastamos nossos olhos do centro da imagem. Por que é isso? Devido à forma esférica da Terra, os continentes distantes do centro ‘afundam’. A América do Sul, por exemplo, aparece estranhamente distorcida ao longo do comprimento, exatamente como nos mapas de Piri Reis! E exatamente como nas fotografias tiradas das sondas lunares americanas.” – Erich von Däniken, Carruagens dos Deuses

O fato de que este mapa poderia ter sido feito com algum tipo de tecnologia aérea é uma informação que não deveria soar tão absurda assim visto que não sabemos quase nada de nosso passado apagado.

Mesmo que isso não seja uma opção, quem teria a capacidade de realizar uma pesquisa geográfica tão precisa na Antártica e em outras partes do mundo de maneira tão profissional há tanto tempo?

Como saberiam detalhar o mapa como se fosse tirado de cima, com conhecimento sobre a forma da Terra e muito mais?

Como eles seriam capazes de determinar sua longitude?

É pelas perguntas que faz a si mesmo ...

Que as respostas surgem em seguida.



137 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page