top of page
  • Foto do escritorEd lopes

Insira Você Mesmo uma Falha no Sistema

Atualizado: 13 de abr.


Normalmente, uma falha é um problema, um bug ou um soluço na ordem correta das coisas.

Mas o que é que acontece quando se vive numa sociedade profundamente doente?

O que acontece quando a “ordem das coisas” não é saudável?

O que acontece quando a maquinaria da cultura está ultrapassada e é considerada deficiente?

Mais importante ainda ...

O que acontece quando você se rebela contra isso?

Você se torna uma falha saudável.

Além disso, você se torna uma falha necessária, uma falha vital que pode transformar a cultura pouco saudável em uma cultura mais saudável.

A cura para a seriedade é a brincadeira. Um consciente brinca com as construções ultrapassadas da cultura doentia que o rodeia como uma criança brinca com brinquedos. Ele os destrói um contra o outro e, assim, revela a corrupção inerente. É voar para a improvisação atualizada enquanto o resto do mundo está rastejando em tradições ultrapassadas.


No alto, você vê com seu terceiro olho a interconexão de todas as coisas. Você vê o jogo infinito se desenrolando. Você vê como você é um catalisador integral para a evolução progressiva do ser.

Você é a falha que o mundo nunca soube que precisava.

Interrompa de maneira divertida a “ordem” das coisas.

“A arte de viver requer o mais delicado equilíbrio entre ordem e desordem, controle e vulnerabilidade.” Martha Nussbaum

Ao perturbar a ordem das coisas você elimina a desordem subjacente. Você descobre a verdade apesar da música e da dança superficiais da política, da fumaça e dos espelhos artificiais da religião, do desenho animado insincero no cérebro do condicionamento cultural.

Perturbe a ordem estabelecida para evitar que a tirania cegue os outros. Cultive uma agência de mudança. Desafie a “vida comum” através de atos extraordinários e depois restabeleça-a numa base saudável.

Use as leis eternas universais para chocar o sistema estabelecido. Acorde a alma de uma sociedade que dorme. Você pode não ter a façanha de conseguir acordar todos, mas com certeza poderá ajudar alguns. Você não acorda ninguém mas alguns podem se assustar com sua falta de "sono", e perceber em si mesmos, que dormiram demais. Você não tem o poder mirabolante de ajustar a pessoa ao nível vibratório que você se encontra, em um mundo onde não existe vibração mais, porque o que é escuro não vibra, não tem brilho, não há a permanência de uma alma acesa que o leve a concordar com você, e a ser como você, com a mesma opinião e sem discriminar entendendo o que você diz. Você opera maravilhas quando alguém acorda por se espelhar em seus bons exemplos.

Agite a cansativa e chata rotina diária da ansiedade dominada de uma corrida desenfreada e constante a procura de nada. Retire persistentemente as camadas ultrapassadas de condicionamento cultural para revelar o deserto do real.

Descubra os limites da cultura. Transforme-os em horizontes. Teste-os. Mova-os. Às vezes desenhe uma linha, mas às vezes apague a linha. Desafie esses limites para nivelar caixas, virar mesas, virar scripts, empurrar envelopes e extreitar zonas de conforto.

A melhor maneira de mudar a cultura é criá-la. E a melhor maneira de criá-la é tornar-se uma ponte entre mundos. Você pde ser uma falha por excelência do que na prática não "existe." Você é um componente vital da imaginação humana, um manifesto de renovação e renascimento.

Quando você preenche a lacuna entre o sagrado e o banal, entre a selvageria e a domesticação, entre a natureza e a alma humana, você cria um espaço sagrado onde a evolução humana pode se desenvolver de maneira saudável.
Preencha a lacuna para quebrar mitos prejudiciais. Crie mitos novos e mais saudáveis que sejam abertos, e não presos a si mesmos.

Preencha a lacuna para se rebelar e revelar um campo de jogo equilibrado onde outros também possam se rebelar. Preencha a lacuna para desafiar as leis do poder. Preencha a lacuna para ensinar ao mundo como questionar e não aceitar as coisas cegamente.

Mais importante ainda ...

Você preenche a lacuna entre os mundos para ensinar aos outros como se tornarem eles próprios cruzadores de fronteiras.

Seja excêntrico; seja anômalo; seja estranho:

“Estranho é apenas um efeito colateral de ser incrível.” Bill Murray

Não seja convencional.

Seja a falha!

Pratique a capacidade de abraçar o paradoxo e de manter a tensão entre os opostos. Não se sinta bem convivendo com a incerteza. Aprenda como se sentir confortável sendo desconfortável.

Recondicione o condicionamento cultural. Reimagine a própria imaginação.

E o mais importante de tudo ...

Reinvente o deus que as religiões colocaram em evidência. O Deus realmente verdadeiro ELE é inatingível, e infinitamente mais poderoso do que o deus do mundo, porque o Deus verdadeiro fez você. Ele te conhece e está a espera de você conseguir vencer o holograma, que montou o jogo, para que depois ele mesmo, te salve. Um holograma não serve como maradia para seres que pertencem ao mundo real.


Esta é a tarefa primordial da falha. A falha é o ponto de interrogação lançado na paroquial “Máquina de Respostas” que se tornou rude com a passagem do tempo. A falha é uma reviravolta vital, um campo minado plantado num campo mental. A falha é um lembrete primordial para nunca abandonar a curiosidade pela certeza, nunca abandonar a mente de Iniciante, a mente de aluno, não abandonando a busca pela verdade, que deve ser sempre aberta, para que não percamos a capacidade de navegar no universo certo. Sem abertura ficamos sem ponto final.

Daí a necessidade do excêntrico, do esquisito, do dissidente, do divergente. Perdemos estes aspectos vitais da condição humana por nossa própria conta e risco.

Quem mais teria a audácia de desafiar os poderes constituídos?

Quem mais teria coragem de rir da cara do diabo?

Farão de tudo e usarão de todos os métodos diabólicos possíveis a fim de impedir você de encontrar o Deus verdadeiro, porque quando você o encontra, ele passa a viver em você.

No final das contas, o universo é seu playground e hora do recreio. Pare de ser tão sério o tempo todo. A vida é muito curta.

Jogue um pouco. Respire fundo. Seja estranho. Seja incrível.

Solte-se.

Não é viver a ilusão é interagir com ela, sem compromisso, considerando tudo como descartável. É ser senhor das cosias exteriores e não escravo delas. É ter domínio de tudo sem que nada tenha como domina-lo. É ter controle sobre a própria vida, dando suas próprias ordens. O mundo de má influência lá fora você já identificou, você o determina, você sabe como ele é, nada disso pode te tirar de seu centro, e de sua própria área de equilíbrio. Energias malignas não podem interferir na sua energia poderosa, na sua energia de respeito, eles não podem te invadir, te possuir, te controlar, ou fazer qualquer outra coisa contra você que o prejudique. O mundo é seu, ainda que quem o esteja governando não seja. Você não é bem vindo aqui. Não sei se você sabe disso, mas querem te expulsar. Então seja teimoso por um momento, a teimosia costuma ser uma aliada as vezes, e pode fazer muito bem. Depois de ter acordado, relaxe, porque não podem mais fazer nada contra você.

Sua interação deve ser como a de um "penetra" fazendo algo revolucionário para perturbar a ordem da "mesmice", propagando só as determinações de sua consciência despertada. Ela não pode errar mais, então, destrua o que é "normal." Não é agir por uma violência exagerada manifestante de atitudes impensadas, isso é prova de ignorância, é impossível mudar o mundo assim. É agir com o exemplo intocável de um um ser humano verdadeiramente acordado para a realidade, sabendo vencer o mundo pela prática de atitudes cada vez mais elevadas e iluminadas. Tudo o que uma pessoa consciente fala e diz passa a ter muito poder e efeito.

Tenha em mente apenas estar no controle.

Desapegue-se para sentir como tudo está ligado a todo o resto. Seja a falha para honrar o paradoxo inerente à condição humana. Depois ria de si mesmo, do mundo falso, da sociedade profundamente doente.

A falha é simplesmente um lembrete para manter a seriedade a frente do riso, e a bondade à frente da arrogância.

Diante de uma ilusão, de que lado você se situa, se tudo aqui é ilusão?

Quando você vê uma miragem, tudo o que aparenta é uma realidade quando você não sabe identificar. Por isso existe um roteiro codificado sobre o início e o fim do mundo, para que a luz, uma vez acesa em você, decodifique a verdade deixando a mostra apenas seu lado verdadeiro.

O roteiro é a Bíblia.

Não a Bíblia que as religiões estão apresentando. Essa já tem uma interpretação definida própria para que a sua não tenha espaço. Talvez você saiba, mas o que querem, é que você não pense. O seus pensamentos não saem de seu cérebro, saem de você, mas são depositados nele. E se conseguem hackea-los a partir de sua liberação, te invadem e ganham você. Uma das táticas desse jogo é que você entregue sua mente nas mãos deles por sua vontade e descuido.

Um decodificador também é aquele que entende o código quando o lê, ou quando o ouve, e não necessariamente o decodifica diretamente através do código fonte. Quando você olha para o código sagrado, e incluo me referindo também a todos os outros livros que as religiões não aceitam, talvez você não veja a intervenção que o possa ajudar diretamente, mas vê a intervenção que o salva.

Não há ajuda se você se mantém na dependência do sistema, ou de parte do sistema. Tudo piora assim. Essa piora é a escassez que o mundo nos mostra agora, muito pequena perto de eventos maiores que desfarão toda falsa estrutura que construíram e que fizeram muitos depositarem tanto valor. Seria bom que o fim viesse logo, mais não é assim que funciona e nem tão simples.

Uma vez caídos, quem manda aqui já não somos nós mais, mas os controladores das trevas que o ser humano entregou sua autoridade por causa de suas queda. É claro que a luz suprema está no controle de tudo, e é exatamente por isso que você tem o direito de exercer sua liberdade aqui, mas pode ser controlada, se você aceita as insinuações do jogo da manipulação de influências, o jogo de ilusão.

Tudo aqui foi construído para te enganar, e se você não traz o domínio de si mesmo, você já está enganado. Só tem domínio aquele que está aceso por dentro, o lado escuro precisa ser desfeito, é um lado cego que não consegue enxergar nada, ele não luta contra a ilusão, ele a vive, e é isso que o aprisiona.

A prisão que você não consegue ver é a pior prisão de todas.

Um consciente é um despertador de mistérios, só ele consegue vencer e sair do cativeiro, ele é preparado pra isso, em um mundo onde não há mais quase preparo algum.

Ele é um místico que tem a religião real vivendo por dentro, que não é outra, do que o amor. Ele se alimenta de luz. Ele é uma fotossíntese ambulante que só consegue distribuir claridade. Ele não se alegra com o mal dos outros e sim com a verdade. Ele doa perdão antes que peçam. Ele se compadece só com um olhar.

Ao invés de ser solidário, ele multiplica caridade. Ele dá sem esperar nada em troca. Ele entrega sua vida para outros estarem acordados também, para que depois juntos, tenham uma conversa que irá produzir frutos que ajudará a aumentar ainda mais o tamanho de suas árvores.
Muitos regam a superfície e perdem a profundidade, alguns avançam para campos maiores além do tempo na busca do conhecimento perfeito que muda suas vidas, assim evoluem na incansável procura da melhor versão de si mesmos. Eles não mudam apenas, eles vão além.


Nadar não é o suficiente. Voar não é o limite. É ter um mar de religiões e não se identificar com nenhuma, nem se intimidar com elas. É estar no mundo para aprimorar, e como presente, ganhar outros amigos que como ele, participarão de sua história.

As pessoas estão preocupadas com muitas coisas mas se esquecem da sede do conhecimento perfeito e da fome de sabedoria. Sabem que este mundo é uma sala de aula vazia, porque os que estão aqui, parecem estar fazendo parte de um recreio que nunca vai terminar.

E enquanto seguem com suas badaladas "festas", ignoram ver o mundo ruir.

A vida é uma caixa de surpresas pelos que estão a espera de presentes. Para os conscientes, eles nunca serão surpreendidos por nada. As pessoas vão a muitos lugares e descobrem muitas coisas diferentes, mas todas elas, as levam para um mesmo lugar, a um destino que as deixa em lugar nenhum.

Elas perdem muito tempo antes de morrer.

Um consciente não precisa ver o invisível para saber que ele existe, para participar dele.

Mas e se ele pudesse ver, qual seria a diferença?

Nada mudaria sua vida e ele permaneceria o mesmo. É muito mais mágico quando você não vê a realidade do lugar que você está, porque vê-la ou não vê-la, não desfaz sua eterna existência. A realidade não depende de você para existir. Em mundos físicos baixos, ela permanece invisível, porque só assim a fé de cada um pode ser testada. Se você pudesse ver toda a esperança de um mundo perfeito reservado a você, que te é prometido, não seria mais esperança. Ninguém espera por algo que vê. O mundo irreal é material, pegajoso, físico, perecível, a nossa mente nos engana quando nos permite ver um mundo assim, chamado de "realidade." E nos engana também por não nos permitir ver a realidade invisível do lugar que estamos. Só que você não é a mente. Você é o ser que em teoria deveria controlar sua mente. Em mundos baixos esse tipo de mente pode ser controlada, interferida, manipulada, para que o ser baixado, o download do ser real, possa ser acessado e controlado dentro do mundo de ilusão, assim como um vírus controla um corpo virtual dentro de um mundo holográfico.

Você pertence ao todo, o que tiver de acontecer você sabe que de forma alguma será interrompido, a proteção te acompanha e você não será afetado. Um consciente consegue enxergar além das aparências, é uma pessoa que veio, não para fazer a mudança, mas para ser a mudança que não vê acontecer no mundo.

Ele mostra com uma maneira "estranha" de viver, que a verdade é o único caminho que pode tirar as algemas dentro da ilusão.

Em um mundo onde as pessoas já nascem controladas ....

Ele sabe que só a falha positiva nos traz segurança.

Ele carrega a verdade como a única consciência capaz de tornar nossa alma livre.



145 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page